Subsídio Bíblico: Lição 3 - A Natureza do Ser Humano


O ser humano é um ser tricotômico. Ele não é só corpo, nem muito menos só alma ou só espírito. Ele é constituído de corpo, alma e espírito; portanto, um ser integral. É assim que as Escrituras mostram o ser humano.


Resumo da lição
Nesta lição, temos os objetivos de mostrar a complexidade do ser humano, bem como elencar as características do corpo humano; destacar que alma é o nosso elo com o mundo exterior; e relacionar o espírito com o nosso contato direto com Deus. Esses objetivos suprirão o propósito de afirmar a complexidade humana, que passa pela materialidade e imaterialidade do ser que se revelam na constituição do corpo, alma e espírito, isto é, da pessoa humana.

Assim, para mostrar a complexidade humana e elencar as características do corpo humano respectivamente, em primeiro lugar, o primeiro tópico mostra que a natureza do ser humano é distinta tanto em relação a Deus quanto em relação aos anjos; em segundo lugar, o segundo tópico elenca as seguintes características do corpo humano: materialidade, visibilidade e mortalidade. O terceiro tópico destaca que a alma é o nosso elo com o mundo exterior, revelando que a sua separação do corpo provoca a morte. Nesse sentido, não há pessoa humana sem a união da alma (e do espírito) e do corpo. O quarto tópico relaciona o espírito como a sede da nossa comunhão com Deus, o elemento que faz com que nos liguemos com as coisas espirituais e divinas.

Aprofundando o tema

Com base em 1 Tessalonicenses 5.23 e Hebreus 4.12, nós, os assembleianos, compreendemos que o ser humano é corpo, alma e espírito. Mas há irmãos que entendem que ele não é tricotômico (composto de três partes), mas dicotômico (composto de duas partes). Acerca disso, o teólogo pentecostal, Myer Pearman, em “Conhecendo as Doutrinas da Bíblia”, escreve: “Embora distintos, o espírito e a alma são inseparáveis, pois permeiam e interpenetram um ao outro. Por estarem tão interligados, as palavras ‘espírito’ e ‘alma’ muitas vezes confundem-se (Ec 12.7; Ap 6.9), de maneira que um trecho descreve-se a substância espiritual do homem como alma (Mt 10.28) e em outra passagem, como espírito (Tg 2.26)”. Logo, a razão de os termos alternarem-se entre si, não significa que ambos sejam sinônimos, como bem demonstra Pearman. Entretanto, como alma e espírito são inseparáveis, só a Palavra de Deus pode distingui-los (Hb 4.12).

Ensinador Cristão Nº 81 do 1º trimestre de 2020

Imagens de tema por PLAINVIEW. Tecnologia do Blogger.