Lição 3 - As Representações do Espírito Santo

Lições Bíblica Dominical Central Gospel
Trimestre: 1° de 2020
Comentarista: Pr. Geziel Gomes

TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Salmo João 7.31-39

TEXTO ÁUREO
Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Salmo 46.4
SUBSÍDIOS PARA O ESTUDO DIÁRIO
2ª feira - Isaías 44.1-20
A Soberania de Deus
3ª feira - Êxodo 17.1-7
A difícil jornada pelo deserto
4ª feira - Mateus 3.1-12
Aquele que batiza com foço
 feira - Romanos 1.1-17
O justo viverá da fé
6ª feira - Êxodo 13.1-6
Deus age no meio do povo
Sábado - Ezequiel 37.1-28
O Espírito que vivifica
OBJETIVOS
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá:
      compreender que as Escrituras utilizam tipos de linguagem ricos e diversos acerca do Espírito Santo;
      entender que a simbologia serve para aproximar as semelhanças entre os elementos envolvidos;
      conhecer algumas das representações simbólicas do Espírito Santo no Antigo e no Novo Testamentos.
ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS

Caro professor, o trabalho do educador pode ser representado, por exemplo, pela ação de um escultor. Este artista tem como matéria-prima a pedra, a madeira ou o mármore ainda em estado bruto e sem forma. Contudo, por sua ação planejada, começa o processo de extração do material informe, tirando partes dele e lapidando-o de acordo com suas intenções e o formato desejado em sua mente. Há um formato no qual os filhos do Reino devem encaixar-se. A educação cristã pretende ser, por meio do ensino bíblico, o instrumento para lapidar e moldar o cristão até que ele tome a forma desejada por Deus. Como Paulo disse aos romanos no capítulo 12 da epístola a eles escrita: Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (v. 2, ARA) (Extraído do: CHAVES, G. V. Educação Cristã — Uma Jornada Para Toda Vida. Rio de Janeiro: Central Gospel, 2012, p.19).
Deus o abençoe!

COMENTÁRIO
Palavra introdutória
A Bíblia é rica em linguagem figurada. Há símbolos, tipos, figuras e alegorias, alegorias no Antigo Testamento, para aludir ao Espírito Santo e à realidade espiritual. Nosso entendimento assimila melhor as profundas verdades do mundo espiritual principalmente por meio de símbolos.

Compilada ao longo de aproximadamente 1.600 anos, por homens que viveram em tempos diferentes e em conjunturas sociais distintas, as Escrituras utilizam diversos estilos literários. Devemos saber, desde já, que a sociedade no Antigo Testamento se valia da oralidade para preservar e transmitir sua herança cultural, religiosa, moral e histórica. Desse modo, os antigos israelitas desenvolveram recursos linguísticos para facilitar essa transmissão e isso inclui a memória do povo e a Palavra de Deus.

Deus é tão imenso que o nosso vocabulário não é capaz de explicá-lo com precisão. Então, para compreendermos melhor quem Ele é, temos de recorrer a artifícios que possam nos ajudar a entender um pouco da grandeza de Deus. Por isso, constantemente observamos os escritores da Bíblia usando linguagem figurada para descrever seus momentos de relacionamento com o Divino.
APROFUNDE SEU CONHECIMENTO - VEJA:

Lição 2- A Humanidade de Jesus e a Sua Deidade

Lição 3 - O Ministério de Jesus

Lição 4 - O Que Cristo Fez por nós

 
1. OS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO
Por toda a Bíblia, podemos testemunhar relatos de homens que tentam descrever suas experiências com o Senhor. Paulo, por exemplo, era um homem culto e, depois de se render ao evangelho de Cristo, viajou por muitos lugares como missionário.
Na carta de Paulo aos romanos, o apóstolo afirma que Deus se revelou ao homem pelas coisas que estão criadas (Rm 1.20). Os atributos divinos são vistos claramente não apenas na humanidade, mas também podem ser apreciados no universo material; a criação divina os declara vividamente (Rm 10.18; SI 19.1-4).

A natureza fala, de forma eloquente, sobre o seu Criador. Começando pela engenharia complexa da célula humana e indo até a grandeza majestosa das montanhas rochosas, todas as obras de Deus testemunham de Sua sabedoria e Seu poder. Os atributos invisíveis de Deus (v. 20 NVI), o Seu eterno poder e a Sua divindade, que refletem Sua natureza divina, podem ser claramente vistos quando contemplamos as Suas obras poderosas em toda a Criação (RADMACHER; ALLEN; HOUSE, Central Gospel, 2010b, p. 362). Seja nos atributos divinos compartilhados por toda a Criação ou nas lindas paisagens da natureza, temos um breve vislumbre da grandeza de Deus e da ação do Seu Espírito Santo.

1.1.  O Espírito Santo é um rio que está em nosso meio

O texto do Salmo 46 traz um dos mais importantes símbolos do Espírito Santo, talvez o símbolo mais rico e de variadas aplicações sobre Ele. Nessa passagem, por exemplo, conseguimos entender que há um rio cujas águas alegram a cidade de Deus (SI 46.4), isto é, simbolicamente, podemos ver a ideia de um Deus que habita e se move em meio ao Seu povo. Da mesma forma, o Espírito Santo habita e se move em nosso meio.

1.2.  O Espírito Santo é a água que sacia nossa sede

A água, como símbolo do Espírito Santo, constitui um importante ponto de referência para os estudiosos da Bíblia, considerando que alguns aspectos fundamentais do líquido ilustram grandes verdades sobre o Espírito Santo; por exemplo: a água é indispensável à sobrevivência humana.

Para ilustrar essa inquestionável verdade, lembremo-nos de quando Cristo estava a caminho da Galileia (Jo 4.1-30). No meio do percurso, Ele parou para descansar em Sicar, uma cidade de Samaria. Historicamente, judeus e samaritanos não se relacionavam amigavelmente. Contudo, o Mestre viu que havia uma mulher samaritana próxima a um poço de água. A fim de alcançar vidas naquele local, Jesus, mais uma vez, usou o cenário ao Seu redor para falar do Seu evangelho. O diálogo entre eles é incrível.

Durante a conversa com a mulher samaritana, o Salvador disse--lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede, mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna (Jo 4.13,14). Essa água que jorra para a vida eterna é o Espírito Santo. Ele é o único realmente capaz de saciar a profunda sede que temos de Deus.

1.3.  O Espírito Santo é a chuva que prepara nossa vida
Há momentos em que os autores bíblicos utilizam a simbologia para relacionar o Espírito à chuva, porque, geograficamente, Israel não é um local muito privilegiado por abundantes pluviosidades. Então, naquele tempo, era muito comum haver secas prolongadas e diversos problemas relacionados à falta de chuva, principalmente em relação à agricultura.

Para entender um pouco melhor a situação pela qual o povo de Deus passava antigamente, devemos observar que dois tipos de chuvas eram considerados os mais importantes:

      a chuva temporã, que se antecipava à semeadura e preparava o solo para o plantio;
      a chuva serôdia, que precedia a colheita. Ela servia principalmente para ajudar a plantação a crescer mais, antes da safra.

No Antigo Testamento, podemos citar o profeta Joel como exemplo de quem usou essa simbologia para falar da conexão entre as chuvas e as promessas de Deus. Em seguida, o profeta cita o futuro derramamento do Espírito Santo, que ocorreu no Pentecostes: E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará ensinador de justiça e fará descer a chuva, a temporã e a serôdia, no primeiro mês (J1 2.23); E há de ser que, depois, derramarei o meu Espírito sobre toda a carne (J1 2.28).

No Novo Testamento, Tiago compara a espera pelas chuvas temporã e serôdia à espera pela segunda vinda de Jesus. Ele proclama que os cristãos devem aguardar pacientemente a vinda do Senhor assim como o agricultor aguarda com paciência que seus campos recebam as chuvas (Tg 5.1-11).


2. OUTROS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO
2.1.  O fogo
O fogo também é um símbolo que representa o Espírito Santo. Ambos possuem propriedades semelhantes: aquecem, queimam, purificam e iluminam o caminho. Ele simboliza a energia transformadora das poderosas ações do Espírito.

Apesar de ser um elemento poderoso, o fogo do Espírito Santo pode ser extinto na vida de quem não se abstém de toda aparência do mal, on seja, podemos ter nosso vínculo com o Espírito Santo diminuído se não vigiarmos e orarmos sempre (1 Ts 5.19). Ele sempre está disponível a quem quiser se achegar, mas também respeita aqueles que se afastam. Nosso relacionamento com Deus é de plena liberdade, mas ele deve ser cuidado diariamente por meio de boas práticas, do estudo da Palavra e da oração, por exemplo. Assim, manteremos a chama do Espírito acesa em nós até a vinda do Senhor Jesus.

2.2.  O vento
Depois da Sua ressurreição, Cristo apareceu aos discípulos enquanto eles estavam reunidos. Naquele momento, tudo ainda era muito confuso para eles. O corpo ressurreto do Mestre não fora encontrado no sepulcro e alguns duvidavam de que Ele era realmente o Messias.

Em tempo oportuno, Jesus revelou-se, mostrou-lhes Suas cicatrizes e disse: Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, havendo dito isso, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo (Jo 20.22).

Nesse exemplo, podemos entender que o vento assoprado por Cristo simboliza a sutil obra do Espírito, pois é um mistério invisível, poderoso e penetrante. Não podemos vê-lo, mas o sentimos e sabemos que Ele é real.

A visão do profeta Ezequiel no vale de ossos secos é outro momento das Escrituras no qual observamos o Espírito agindo como o vento. Ele profetizou, o vento soprou e os mortos reviveram: E ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor Jeová: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. E profetizei como ele me deu ordem; então, o espirito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército grande em extremo (Ez 37.9,10).

2.3.  O óleo e o azeite

O óleo e o azeite são um precioso símbolo do Espírito Santo. No Antigo Testamento, eles eram frequentemente usados em momentos solenes, como a consagração de profetas (1 Rs 19.16), sacerdotes (Êx 30.30) e reis (1 Sm 16.13). Isso significa dizer que a unção era uma forma de demonstrar que aquelas pessoas estavam sendo separadas para exercer uma função especial.

Nos tempos bíblicos, o azeite também era uma mercadoria usada para fins comerciais e econômicos (Lc 16.6), funcionava como combustível para lâmpadas (Mt 25.3) e como tratamento medicamentoso (Mc 6.13; Tg 5.14). Contudo, ao contrário do extrato da azeitona, o Espírito Santo não pode ser comprado nem comercializado. Ele está disponível gratuitamente a todos. Temos livre acesso ao Santo Espírito graças à obra redentora de Jesus.

2.4.  O selo
Em sua segunda carta à igreja de Corinto, o apóstolo Paulo comunica-se com os cristãos que congregavam ali, afirmando que eles eram selados por Deus e que Ele lhes deu o penhor do Espírito Santo (2 Co 1.22). O selo garantia a procedência e a inviolabilidade de uma carta. Normalmente, derretia-se um tipo de cera no documento e usava-se um elemento em alto-relevo para marcá-la antes do seu endurecimento.

O apóstolo usou essa simbologia para explicar que o selo do Espírito Santo autentica e assegura a quem pertencemos. O Espírito Santo sela o crente em Jesus Cristo, dando-lhe garantia, proteção e direito de propriedade. Ele personaliza o possuidor e é expressão da autoridade de Deus sobre os Seus (2 Tm 2.19; Ap 7.3).

Além disso, Paulo também usou a expressão penhor para afirmar que, além de selados, possuímos o devido valor do sangue de Jesus, o qual foi confirmado pelo Espírito Santo, quando Ele foi enviado por Cristo no Pentecostes. A operação do Espírito Santo é tanto o selo como o penhor de nossa herança. Foi o próprio Deus quem nos preparou para isso, outorgando-nos o valor do Espírito (2 Co 5.5).

CONCLUSÃO
A rica linguagem bíblica sobre os símbolos do Espírito Santo pode nos dar uma breve dimensão de como Deus paira sobre a Sua criação, identificando-se com ela e atuando a fim de que todos sejam alcançados pela mensagem das boas novas de salvação de Cristo. Seja como uma brisa suave de um vento ou como um poderoso fogo consumidor, o Espírito Santo está disponível para se relacionar conosco. Nem sempre sabemos como Ele se revelará em nosso relacionamento, mas podemos ter a certeza de que ficaremos bem e seremos tratados com muito amor.

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. Quais símbolos do Espírito Santo você consegue identificar nessa lição?
R.: O Espírito Santo é comparado ao rio, à água, ao fogo, ao vento, ao azeite e ao selo. É preciso citar que essas simbologias são exemplificativas. Há muitos outros símbolos nas Escrituras.

🎯  APROFUNDE SEU CONHECIMENTO:
Lições Bíblicas Dominical – Adultos – Aqui
Lições Bíblicas Dominical – Jovens – Aqui
Lições Bíblicas Dominical – Adolescentes – Aqui
Estudos Para Capacitação de Professores da EBD - Aqui


Imagens de tema por PLAINVIEW. Tecnologia do Blogger.