Lição 6 - O Espírito Santo e a Armadura de Deus

Lições Bíblica Dominical Central Gospel | Trimestre: 1° de 2020 | Comentarista: Pr. Geziel Gomes

TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Efésios 6.10-20
TEXTO ÁUREO
Porque se revestiu de justiça, como de uma couraça, e pôs o elmo da salvação na sua cabeça, e tomou vestes de vingança por vestidura, e cobriu-se de zelo, como de um manto. Isaías 59.17
 
SUBSÍDIOS PARA O ESTUDO DIÁRIO
2ª feira - 1 João 2.18-27
A Promessa que Deus nos fez
3ª feira - 2 Coríntios 10.1-18
As armas com as quais lutamos
4ª feira - Romanos 3.21-26
A justificação do homem
5ª feira - Hebreus 4.1-13
A Palavra de Deus penetra nosso coração
6ª feira - Mateus 4.1-11
Jesus usou a Palavra para resistir ao diabo
Sábado - 1 Pedro 5.1-11
Devemos estar alertas e vigilantes

OBJETIVOS
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá ser capaz de:
• identificar as armas espirituais que constituem a armadura de Deus;
• saber como proceder diante dos embates espirituais no cotidiano da vida cristã;
• vencer os ataques de Satanás pelo revestimento da arma dura de Deus.
ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS
Caro professor, a seleção e o preparo do conteúdo são atividades que exigem muito empenho do professor. É necessário que ele não só conheça bem o assunto, como também conheça o grupo de alunos ao qual vai ministrar. Ademais, são imprescindíveis ao professor qualidades como: bom manejo de classe, segurança, atualização, liderança e sistematização. Porém, sem conhecer o conteúdo com profundidade, estas qualidades não serão suficientes para livrar o educador da decepção.

Alguns professores da Escola Dominical vivem reclamando do pouco tempo para desenvolver todos os pontos da lição da revista. Contudo, o problema está no erro ou na falta de planejamento do conteúdo em relação ao tempo disponível. Cinquenta minutos são mais do que suficientes para ministração de uma aula na Escola Dominical. Os que não conseguem fazer dentro deste tempo também não conseguirão com um tempo maior (Extraído de: CHAVES, C. V. Educação Crista — Uma Jornada Para Toda Vida. Rio de Janeiro: Central Gospel, 2012, p. 143).

VEJA TAMBÉM:
👉 Lições Bíblicas Central Gospel

Lição 3 - As Representações do Espírito Santo

Lição 4 - O Espírito Santo na Antiga Aliança

Lição 5 - O Espírito Santo na Nova Aliança


COMENTÁRIO
Palavra introdutória
Cristo está em mim, e eu estou nele. Essa verdade está no cerne da vida cristã. Quando vestimos toda a armadura de Deus, colocamos a totalidade da identidade eu em Cristo, Cristo em mim. O apóstolo Paulo admoestou: Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder (Ef 6.10). Todas as peças da armadura espiritual, de ataque ou defesa, derivam desse versículo. Nós, obviamente, não colocamos peças reais de armadura, nem adotamos ideias ou atividades para nossa vida.

Quando vestimos toda a armadura de Deus (Ef 6.10-20), colocamos a natureza de Cristo Jesus e Sua identidade, concordamos totalmente com Seu domínio sobre nós e vestimo-nos espiritualmente da cabeça aos pés, por dentro e por fora, com a Sua presença e com o Seu poder. Essas virtudes não são sinais do nosso poder ou da nossa autoridade espirituais. Em vez disso, são um reconhecimento do poder e da autoridade de Cristo. Essas peças da armadura não têm a ver conosco ou com o que podemos fazer para nos proteger. Não! Elas têm a ver com jesus e o Seu poder. Colocar toda a armadura de Deus tem a ver com estar em Cristo e ser revestido com o Espírito Santo (MALAFAIA, Central Gospel, 2008, p. 198).

1. A ARMADURA É INDISPENSÁVEL

LIÇÕES BÍBLICAS CPAD:

Lição 5 - A Unidade da Raça Humana 

Lição 6 - A Sexualidade Humana

Lição 7 - A Queda do Ser Humano

Lição 8: O Início da Civilização Humana

Lição 10 - Só o Evangelho Muda a Cultura Humana

Lição 11 O Homem do Pecado


O tema batalha espiritual é habitual na vida do cristão, afinal, o inimigo de nossa alma está, constantemente, buscando oportunidades para nos desviar dos caminhos de Deus (1 Pe 5.8). Então, como podemos resistir às investidas do diabo? Estudaremos, nesta lição, a chave para a vitória nas batalhas espirituais: as armas que compõem a armadura de Deus. O cristão deve conhecer e manusear adequadamente essas armas fornecidas pelo Espírito Santo, pois se constituem em condição imprescindível para a vitória no embate espiritual do seu cotidiano.

A presença majestosa do Espírito Santo em cada cristão traz inesgotável suprimento de vigor físico, mental e, também, moral para a efetiva resistência ao mal (Hb 13.20,21). O segredo, nesse caso, é permanecer sob a influência e domínio de Deus (Tg 4.7; Ef 6.13).

Ao aludir ao legionário do exército romano, Paulo apresenta as seis poderosas armas que formam uma armadura espiritual para o soldado cristão enfrentar o império das trevas.

1.1.  Cinto da verdade
Paulo utiliza elementos da armadura militar para ilustrar o revestimento espiritual necessário ao cristão. O primeiro elemento da armadura espiritual é a verdade (fidelidade, lealdade, integridade), o item corresponde ao cinto que prendia todas as demais peças ao corpo do soldado. É uma citação da profecia messiânica de Isaías, ao dizer que a verdade será o cinto usado pelo Salvador (Is 11.5).

A verdade é considerada fundamental por Paulo (Ef 4.15), porque um cristão desonesto não pode esperar resistir ao pai da mentira, o diabo (Jo 8.44). A verdade em questão aqui também é a integridade, demonstrada por meio da autenticidade e da honestidade (2 Co 8.21; Fp 4.8).
1.2.  Couraça da justiça
Na armadura, a couraça era uma peça de proteção dos órgãos vitais e da parte superior do abdômen. A aplicação dessa peça à justiça (ou retidão) aponta para o ato de Deus em tornar-nos retos, perdoados, em Cristo, por causa da nossa frágil condição espiritual (ls 64.6; Rm 3.23). 0 Espírito Santo é quem nos reveste com a couraça quando nos convence da justiça que Jesus cumpriu em si mesmo ao morrer na cruz (Jo 16.8,10).

2. A ARMADURA É FUNDAMENTAL

Devemos buscar o revestimento da armadura de Deus, também, para levar a Sua Palavra aos perdidos. 
Paulo relata que, além de estarmos preparados para resistir às investidas do diabo, precisamos da armadura para anunciar o evangelho aos que não o conhecem.

A evangelização do mundo é uma das prioridades apresentadas pelo Espírito Santo à Igreja. Por meio dessa ação, apresentamos o plano da salvação (Jo 3.16) e o executor do plano da redenção, aquele que produz a regeneração do pecador (Jo 3.3-8; Tt 3.5; Hb 9.14).

2.1. Calçados os pés do evangelho da paz

Os soldados romanos calçavam sandálias reforçadas para percorrer longas distâncias. No grosso solado, havia grandes travas que firmavam seus pós no chão (como as chuteiras de travas usadas no futebol de campo). O apóstolo Paulo descreve o ato de calçar os pés, aplicando-o ao processo de evangelização.

Portanto, os cristãos devem calçar as sandálias do evangelho a fim de cumprir a grande comissão (Mt 28.19,20), pregando, em todos os lugares, a boa nova da reconciliação, que é Cristo Jesus (Mq 5.5; Ef 2.14).

Quando os cristãos assumem o compromisso de avançar, com o propósito firme de realizar missões, promove-se, no mundo, a paz real (Is 52.7). Lembremo-nos sempre de que anunciar o evangelho não é uma opção para o cristão, mas uma obrigação (1 Co 9.16)!

2.2.  Escudo da fé

O escudo era (retangular, feito de madeira e recoberto de couro) usado pelo soldado romano e consistia em uma arma de proteção grande o suficiente para proteger todo o corpo do soldado das flechas incendiárias lançadas pelos arqueiros do exército inimigo.

Essa vivida descrição tem uma relação bem próxima com o papel protetor da fé (SI 5.12). Dúvidas e questionamentos sobre a vontade de Deus deixam o cristão vulnerável aos ataques do inimigo (Mt 14.31; Tg 1.6; Jd 1.21,22). Satanás aproveita tais brechas para enfraquecer os cristãos e levá-los à apostasia (2 Ts 2.3), sugerindo propostas pecaminosas que se alastram como o fogo em madeira e resultam no esfriamento espiritual do indivíduo.

Mas, o apóstolo Paulo reafirma o poder do Senhor em guardar os Seus e em edificá-los na fé (Jd 1.20). Além disso, Jesus também promete galardoar os fiéis (Hb 11.6), pois Ele tem prazer quando eles lhe dirigem sua confiança (1 Jo 5.46; 17.20). Nesse sentido, fé é sinônimo de entrega total: o coração, o pensamento, a vida, enfim, tudo o que somos, temos e fazemos (Pv 3.5; Mt 10.37,38).

3. A ARMADURA É CONVINCENTE

Para manter-se íntegro em sua caminhada, o cristão precisa estar convicto da sua salvação, pois ela o mantém focado na maior recompensa que alguém pode receber: estar ao lado de Jesus no céu (Jo 14.3).
 
Além disso, o cristão deve usar a melhor arma de persuasão que existe, a Palavra de Deus. Quando uma pessoa é alcançada pela Palavra, o Espírito Santo age em seu coração, atingindo uma profundidade inimaginável: a sua alma.

3.1. Capacete da salvação

O capacete protege o cristão da degradação do pecado. A fonte paulina é o profeta Isaías, que descreve o Messias que traz o elmo da salvação na sua cabeça (Is 59.17). Confirma-se, assim, que a salvação é uma dádiva graciosa de Deus. O cristão deve sempre té-la em sua mente, meditando sobre seu significado e sobre o grande privilégio de ter seu nome escrito no livro da vida (Ef 2.8; 4.7).

O capacete da salvação constitui-se em uma peça fundamental da armadura, uma vez que protege a cabeça do soldado durante os combates (Ef 6.17). Na guerra, golpes na cabeça são, quase sempre, fatais. Psicologicamente, também, muitas batalhas são ganhas e outras perdidas na mente (Rm 8.6). Por isso, tanto a cabeça como o cérebro precisam de proteção (Fp 4.8).

3.2.  Espada do Espírito

A espada é a única arma de ataque na descrição paulina da armadura de Deus. Todas as demais possuem natureza defensiva. A Palavra de Deus como a espada do Espírito significa que o Espírito Santo:

• torna a Palavra eficaz, ativa e vigorosa na vida de cristão (Jo 6.63);

• sonda os pensamentos e propósitos do coração humano (Hb 4.12);
• interpreta a Palavra de Deus, ensinando-nos Seus estatutos (Jo 14.26);
• determina a conduta ética e moral a ser praticada pelos homens (Rm 8.5-9).
A cada cristão, foi dado o poder do Deus para lutar o vencer pela observância de Sua Palavra. Na lógica divina, obediência é sinônimo de vitória (1 Sm 15.22).

À tentação (provocação, incitação ao erro), devemos responder com a Palavra de Deus, como o fez Jesus ao ser tentado no deserto. Por três vezes, o Mestre valeu--se da Palavra de Deus para vencer Satanás, dizendo-lhe: Está escrito (Mt 4.4,7,10). A Palavra de Deus nos conduz à santificação (Hb 12.14), à perfeita adoração (Hb 13.15) e a não colocarmos nossa esperança na incerteza das riquezas (1 Tm 6.17).

4.  A ARMADURA É UMA IMAGEM DE JESUS


Em certo sentido, a armadura de Deus é uma imagem de Jesus Cristo. Ele é a Verdade (Jo 14.6); Ele é nossa justiça (2 Co 5.21) e nossa paz (Ef 2.14). Nossa fé só é possível por causa da Sua fidelidade (G1 2.20); Ele é a nossa salvação (Lc 2.30) e é a Palavra de Deus (Jo 1.1,14). Isso significa que, quando aceitamos a Cristo, também recebemos a armadura.

Paulo disse aos romanos como fazer uso da armadura (Rm 13.11-14): despertar (Rm 13.11), deixar o pecado (as obras das trevas) e revestir-se das armas da luz (Rm 13.12). Fazemos isso revestindo-nos do Senhor Jesus Cristo (Rm 13.14). Pela fé, colocamos a armadura e cremos que Deus dará a vitória.

No momento da salvação, vestimos a armadura de uma vez por todas. No entanto, devemos nos apropriar dela a cada dia. Quando o rei Davi tirou sua armadura e voltou para seu palácio, colocou-se em mais perigo do que se estivesse no campo de batalha (2 Sm 11). Nunca estamos fora do alcance dos ardis de Satanás, de modo que jamais devemos ficar sem a armadura completa de Deus (WIERSBE, Geográfica, 2007b, P- 77).

CONCLUSÃO

Precisamos nos revestir com a armadura de Deus (Ef 6.13-17), afinal, somos a Igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3.15). O Senhor tem convocado cada cristão para defender, como Seus soldados, os valores do Reino (Mc 8.38).

Para isso, não podemos ficar apenas no conhecimento das armas espirituais. Devemos usá-las, a fim de que possamos lutar, resistir e, por fim, vencer a guerra contra o diabo, seus demônios e contra o pecado que tão de perto nos rodeia cotidianamente (Hb 12.1).

Nós somos combatentes espirituais e precisamos estar equipados para a batalha, como o soldado romano usado na ilustração paulina sobre os elementos que compunham a armadura espiritual. A salvação, a justiça, o evangelho, a Palavra, a fé e a paz são poderosas armas de combate. Você está preparado para resistir às ciladas do diabo? Revista-se da armadura e fique pronto para a peleja.

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. Por que o escudo da fé nos ajuda a apagar as setas inflamadas do Maligno (Ef 6.16)?
R.: Com o escudo da fé, neutralizamos os ataques flamejantes que o inimigo nos lança, ou seja, conseguimos eliminar as investidas do inimigo e prevalecer sobre ele.

🎯  APROFUNDE SEU CONHECIMENTO:
Lições Bíblicas Dominical – Adultos – Aqui
Lições Bíblicas Dominical – Jovens – Aqui
Lições Bíblicas Dominical – Adolescentes – Aqui
Estudos Para Capacitação de Professores da EBD - Aqui


Imagens de tema por PLAINVIEW. Tecnologia do Blogger.