O Superintendente da Escola Dominical e seus Deveres

I. PONTUALIDADE

Não é difícil inferir ser a pontualidade um dos mais requisitados deveres do superintendente da Escola Dominical. Cultive este hábito; dele tirará grandes proveitos.

🎯 Em primeiro lugar, poderá dedicar-se ã oração. Sem estar pressionado pelo relógio, terá tempo suficiente para agradecer a Deus por mais um domingo de estudo e meditação em sua Palavra; rogará em favor de cada aluno, professor e obreiro; retemperar-se-á na presença divina. E após estes momentos de devoção e refúgio, estará preparado aos afazeres do dia; não haverá de descontrolar-se ante o inesperado nem perturbar-se diante dos improvisos. Tudo correrá de conformidade com o relógio de Deus.

     

Você ainda terá condições de verificar se as salas estão devidamente arrumadas. Ato contínuo, dirigir-se-á à porta do templo para recepcionar os alunos. E se for preciso, ainda poderá reunir-se com os professores e auxiliares mais diretos, a fim de repassar-lhes as últimas instruções.

Mas se chegar tarde, como poderá organizar-se? O superintendente responsável sabe que, se perdermos uma hora pela manhã, passaremos o restante do dia correndo atrás dela... e não mais a recuperaremos. Certa vez perguntaram ao almirante inglês, Nelson, qual o segredo de seus êxitos. Respondeu que os devia à pontualidade; jamais chegara atrasado a um compromisso.

Você tem sido pontual? Ou é do tipo relapso, que só chega depois do horário e, apesar disso, traz sempre uma justificativa? Suas desculpas acham-se porém desgastadas; não convencem. Veja quanto tempo perde você; no atraso, perde; e, tentando justificar-se, perde ainda mais. Não seria mais econômico ser pontual?

A pontualidade é a virtude própria das nações robustas e bem educadas. Experimente chegar atrasado a uma reunião marcada por um britânico. De imediato, sentir-se-á excluído, Do outro lado do Canal da Mancha, a exigência é a mesma. O rei Luiz XVIII de França afirmou, certa vez, ser a pontualidade a polidez dos reis. Que o seja também do superintendente da Escola Dominical!

 

II. CONHECER A REALIDADE DA ESCOLA DOMINICAL

Você conhece a realidade de sua Escola Dominical? Infelizmente, há superintendentes que, embora no cargo há cinco ou seis anos, ainda não sabem sequer os nomes de suas classes. Isso revela, entre outras coisas, desinteresse, apatia. Tem-se a impressão de que o superintendente só se interessa pela Escola Dominical aos domingos. Na segunda-feira, esquece-a por completo.

Para quem vive e pensa a Escola Dominical, torna-se esta a Escola Semanal; organicamente, estará a funcionar, em seu superintendente, de segunda a sábado. O domingo será apenas um suplemento; servirá para legitimar-lhe o nome.

  

1. Porque é importante conhecer a Escola Dominical.

Em primeiro lugar, o superintendente só haverá de justificar o seu cargo se conhecer, sistemática e planejadamente, a sua Escola Dominical. Doutra forma, como poderá superintender algo que desconhece? A supervisão e a inspeção requerem uma visão detalhada do todo.

Por isso, comece, a partir de agora, a conhecer a sua Escola Dominical. Tenha desta uma visão tanto microscópica quanto macroscópica. Veja-a no contexto eclesiástico, isto é, em relação aos demais departamentos da igreja; e também em si mesma. Conheça-a tanto em separado como parte do todo.

 

2. Como conhecer a Escola Dominical.

Em virtude de sua própria natureza, não se pode conhecer a Escola Dominical de forma improvisada. É necessário começar por suas origens, objetivos e finalidades. Que tal iniciar por sua história?

Como vimos no início desta obra, as origens da Escola Dominical remontam aos tempos do Antigo Testamento, passam pelos dias de Jesus e de seus apóstolos até consolidar-se com Robert Raikes. Nessa peregrinação, os itens da Grande Comissão vêm sendo plenamente cumpridos.

Busque, em seguida, conscientizar-se dos supremos objetivos da Escola Dominical: evangelismo e ensino. A partir daí, estará você preparado a conduzi-la de conformidade com o seu contexto histórico e de acordo com os seus supremos alvos.

 

3· O que deve também o superintendente conhecer.

Além de sua Escola Dominical, deve o superintendente inteirar-se de sua realidade sociocultural. Ou seja: em que área está a sua igreja localizada, e qual o perfil de seus membros? A partir dessas informações, haverá você de direcionar melhor seus esforços, estabelecendo uma filosofia de trabalho orientada a essa realidade.

Se a sua igreja estiver num bairro de classe média, terá você um enfoque clássico de atuação. Mas, se numa favela, será obrigado a cuidar tanto do ensino da Palavra de Deus como das necessidades mais imediatas de seus alunos.

 

III. ZELAR PELO BOM ANDAMENTO DOS TRABALHOS

Não acho que o superintendente seja um pastor, mas que possui ele um rebanho, não o podemos negar. Tal prerrogativa, recebeu-a ele de seu pastor-presidente. Mas que jamais venha a prevalecer-se disso. Quando inquirido, não se furte a prestar contas à direção da igreja. Sendo humilde no cargo, jamais será humilhado na função.

O superintendente também não é um bispo, mas supervisiona. Não é um evangelista; ai dele, contudo, se não pregar o Evangelho. Não é um presbítero; veem-no todos, entretanto, como alguém grave, responsável. Não é um diácono; todavia, se não servir eficazmente, como haverá de ser contado entre os servos de Deus?

Eventualmente, pode o superintendente vir a ser um pastor, um evangelista, um presbítero ou um diácono. De uma forma ou de outra, terá ele a responsabilidade de, enquanto na direção da Escola Dominical, zelar pelo bom andamento dos trabalhos desta. O que isso significa? Que deve ele mantê-la em pleno funcionamento.

Se detectar qualquer falha na Escola Dominical, busque resolvê-la de imediato. Não deixe que os problemas se acumulem; problema acumulado não é problema, é crise. Converse com os seus auxiliares; consulte os professores e alunos; requisite o conselho sempre sábio de seu pastor. Verificará você que, na multidão de conselhos, os problemas são resolvidos com mais facilidade.

 

IV. MANTER A DISCIPLINA

É necessário, pois, muita disciplina para que a Escola Dominical faça-se dinâmica e tenha a relevância que lhe requer a Palavra de Deus. A disciplina tem de ser mantida pelo superintendente.

 

1. O que é a disciplina.

É o regime de ordem livremente consentido ou imposto por uma força maior. Pode ser entendida também como o ordenamento que convém ao funcionamento regular duma organização. É a observância de preceitos ou normas.

 

2. Os dois tipos de disciplina.

Há dois tipos de disciplina: preventiva e corretiva.

a) Preventiva.

É o tipo de disciplina que tem por objetivo manter o regime de ordem com o consentimento de todos. Por isso, é importante que o superintendente verifique se as dependências de sua Escola Dominical favorecem a ordem. Procure responder a estas perguntas com toda objetividade e critério: Minhas dependências são adequadas? As salas de aula são arejadas e possuem iluminação adequada? E o mobiliário, é ergonômico? As salas do departamento infantil estão adequadamente equipadas? Como são os professores? Acham-se devidamente treinados? Têm eles noções precisas de disciplina? Os professores de criança receberam treinamento especializado em evangelismo infantil?" Se a sua Escola Dominical funcionar conforme preconizam os cânones da didática, terá você certamente poucos problemas com a disciplina.

 

b) Disciplina corretiva.

Se a disciplina preventiva não proporcionar os resultados esperados, faz-se necessário partir para a disciplina corretiva. Compõe-se esta de advertências, suspensões p até de substituição no cargo. Nesse caso, deve o superintendente sempre consultar o seu pastor a fim de não cometer injustiça.

 

3. Disciplina espiritual.

É imprescindível sejam os professores, alunos e diretores da Escola Dominical disciplinados espiritualmente. Têm eles o hábito de orar, interceder pelo Reino de Deus, ler a Bíblia, praticar as boas obras e aguardar a vinda de Nosso Senhor? Se não forem piedosos, como haverão de executar o seu trabalho de forma valorosa?

 

V. PROPORCIONAR UM CLIMA DE FRATERNIDADE CRISTÃ

Na Primitiva Igreja, os irmãos tudo faziam por manter a fraternidade: "Quanto, porém, ao amor fraternal, não necessitais de que se vos escreva, visto que vós mesmos sois instruídos por Deus a vos amardes uns aos outros" (1 Ts 4.9). Era a fraternidade tão comum àqueles crentes, que o apóstolo, a esse respeito, achava-os mais do que instruídos.

Não permita que os alunos e professores vejam a Escola Dominical como se fora uma parte distinta da igreja. Se isto vier a acontecer, estará você falhando como superintendente; o seu papel é justamente servir a igreja através da Escola Dominical. Que todos se conscientizem de que cada um em particular faz parte da igreja local e da Invisível Igreja.

Pacifique os professores e alunos; reconcilie-os. Afinal, recebemos do Senhor o ministério da reconciliação (2 Co 5.18). Aja com justiça; não seja tendencioso. Saiba como impor a disciplina. Agindo assim, fará com que todos se sintam irmãos queridos e necessários.

🔍Veja também:

Incentivo Pastoral como fator decisivo do Crescimento da EB – Acesse Aqui

O Livro Texto da Escola Dominical, a Bíblia Sagrada – Acesse Aqui

A Fundação da Escola Dominical – Acesse Aqui

VI. PROVIDENCIAR OS RECURSOS PARA O BOM ANDAMENTO DOS TRABALHOS

Também é sua missão providenciar todos os recursos de que necessita a Escola Dominical. Se esta vier a funcionar deficitariamente, como logrará seus objetivos? Por isso, faça as necessárias provisões. Converse com o seu pastor; pergunte-lhe como serão arrecadados os recursos para prover a Escola Dominical.

Em virtude de sua própria natureza, a Escola Dominical exige grandes investimentos: material didático, mobiliário, reciclagem de professores etc. Não espere que os materiais acabem; providencie-os antes.

 

VII. PROMOVER A ESCOLA DOMINICAL

1. Promoção.

Se temos um produto de excelência, se o preço deste é o melhor que se pode ter: gratuito, por que muitas pessoas deixam de frequentar a Escola Dominical? O problema acha-se justamente na promoção. Infelizmente, vimos falhando em promover este tão sublimado produto.

 

2. O que é a promoção.

É o esforço concentrado de se fazer um produto conhecido de seus clientes em potencial.

Tornemos a Escola Dominical conhecida e acessível a todos os seus clientes em potencial -crentes e não crentes. Todos podem fazer parte dessa maravilhosa escola. Ela não é apenas uma agência educadora; é também uma eficiente ganhadora de almas.

 

3. Como promover a Escola Dominical.

• Fazer anúncios da Escola Dominical em todos os cultos da igreja.

• Falar da E.D. àqueles que ainda não a frequentam.

• Enviar convites aos não-crentes a fim de que façam parte da Escola Dominical.

• Anunciar a Escola Dominical através do rádio, televisão, jornal etc.

• Elaborar cartazes e murais da Escola Dominical, colocando-os nos lugares mais estratégicos da igreja e, se possível, do bairro.

• Levar a Escola Dominical a estar sempre presente em todos os eventos da igreja. Todos precisam se aperceber do dinamismo da E.D.

• Visitar os alunos que, por um motivo qualquer, deixaram de frequentar a Escola Dominical.

• Mostrar ao pastor da igreja e ao ministério, as realizações da E.D. Precisam estes saber que a finalidade precípua da Escola Dominical é justamente auxiliar a igreja. Promovendo a Escola Dominical, estará você implementando a expansão do Reino de Deus.

 

VIII. DESENVOLVER A ESPIRITUALIDADE DOS ALUNOS E PROFESSORES

É dever do superintendente envidar todos os esforços, a fim de que professores e alunos cresçam espiritualmente. Eis algumas sugestões, posto que simples, bastante práticas e úteis:

1. Comece todas as reuniões com oração.

Trinta minutos de oração, antes da Escola Dominical, é um tempo razoável, e não trará transtorno a ninguém. Aliás, evitará desarranjos e indisposições; quebrará as correntes do adversário.

A oração fará com que o superintendente, professores e alunos preparem-se para ministrar e receber a Palavra de Deus.

 

2. Visite os alunos faltosos.

Ainda que a sua Escola Dominical possua dez mil alunos, não subestime os indivíduos. Vá atrás dos faltosos; visite os enfermos; socorra os necessitados; anime os fracos. A Escola Dominical existe por causa deles, e não eles por causa da Escola Dominical.

 

3. Leve seus alunos a ler a Bíblia.

Promova a leitura da Bíblia na Escola Dominical. Como seria maravilhoso se todos os alunos e professores lessem a Palavra de Deus pelo menos uma vez por ano!

Faça uma campanha de leitura da Bíblia. No final do ano, premie aqueles que cumprirem a tarefa. Dê um diploma aos que a leram uma vez no ano. Quanto àqueles que a leram duas ou mais vezes, merecem um prêmio especial. Leve este propósito adiante; é através da leitura da Palavra de Deus que haveremos de experimentar um grande avivamento.

 

4. Saiba como escolher os professores.

Devem estes ser espirituais e primar pela ortodoxia doutrinária. Se algum professor não tiver tais requisitos, não poderá assumir tal responsabilidade. Que se prepare melhor. Recomendo uma prova para admissão de professores. Se para o magistério secular exige-se preparo, competência, vocação e experiência, por que não se exige o mesmo daqueles que pretendem ensinar a Palavra de Deus?

 

5· Prepare seus alunos a encontrar-se com o Senhor Jesus.

Esta é a viva esperança da Igreja. Como estamos nos últimos dias, devemos todos preparar-nos para este maravilhoso evento. Seus alunos e professores estão aguardando o Rei? Você o está aguardando?

🛠 VEJA ESSES AUXÍLIOS BÍBLICOS 🛠

Lições Bíblicas Adultos👉Aqui

Lições Bíblicas Jovens👉Aqui

VIDEOAULAS👉Aqui

Artigos Teológicos👉Aqui

🔍PESQUISAR NESTE SITE👉Aqui

Artigo: Pr. Claudionor de Andrade | Reverberação:  www.escolabiblicadominical.net



Nenhum comentário

Imagens de tema por PLAINVIEW. Tecnologia do Blogger.