A edificação do altar

📖 Texto Bíblico: Esdras 3.1-4

1 CHEGANDO, pois, o sétimo mês, e estando os filhos de Israel já nas cidades, ajuntou-se o povo, como um só homem, em Jerusalém.

2 E levantou-se Jesua, filho de Jozadaque, e seus irmãos, os sacerdotes, e Zorobabel, filho de Sealtiel, e seus irmãos, e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como está escrito na lei de Moisés, o homem de Deus.

3 E firmaram o altar sobre as suas bases, porque o terror estava sobre eles, por causa dos povos das terras; e ofereceram sobre ele holocaustos ao SENHOR, holocaustos pela manhã e à tarde.

4 E celebraram a festa dos tabernáculos, como está escrito; ofereceram holocaustos cada dia, por ordem, conforme ao rito, cada coisa em seu dia.

Comentário bíblico:

💡 Versículo 1: o sétimo mês.

O sétimo mês era tisri, equivalente a setembro-outubro, um mês bastante sagrado para o povo (Lv 23.33-44). Começava com a festa das trombetas; o dia da expiação era comemorado no décimo dia e, do décimo quinto ao vigésimo primeiro dia, comemorava-se a festa dos tabernáculos.

A conexão entre esse mês e a Festa das Cabanas (ou dos Tabernáculos) também pode ser observada na cerimônia de renovação da aliança narrada em Neemias 7.73 - 8.2.

 

💡 Versículo 2: edificaram o altar do Deus de Israel.

 

A primeira coisa que o sumo sacerdote Jesua [1] fez foi restaurar o altar, para que pudesse oferecer os sacrifícios para o povo.

Os judeus edificaram o altar, como um de seus primeiros atos oficiais. O altar simbolizava a presença e a proteção de Deus, e também demonstrava seu propósito, como nação, e seu compromisso de servir apenas a Deus.

Jesua também restabeleceu os diversos sacrifícios prescritos pela lei, que incluíam um holocausto a cada manhã e no final da tarde bem como ofertas adicionais para dias especiais. Não era necessário esperar que o templo estivesse pronto para oferecer sacrifícios a Deus. Desde que houvesse um altar santificado, era possível realizar os sacrifícios. Afinal, o maior interesse de Deus não é nos aparatos externos, mas sim no coração (1 Sm 15.22; Sl 51.16, 17; Os 6.6; Mc 12.28-34).

Os sacrifícios eram essenciais, porque demonstravam que o povo estava buscando a orientação de Deus, consagrando-se outra vez para a vida que Ele ordenava, e pedindo-lhe, diariamente, o perdão dos pecados.

 

💡 PERGUNTA!

👉 O que é o altar?

“Do hebraico ‘mizbeach’: ‘sulhan’; e do grego ‘thysiasterion’ (de ‘thysia’, sacrifício); e ainda do latim ‘altare, altaria’ (semelhante a ‘adoleo’ queimar). Quase todas as pessoas dessa geração têm um conceito errado do verdadeiro altar no sentido genérico e prático que motivou sua existência. Todos julgam, geralmente, que um altar genuíno é a parte de um templo, de uma catedral, de uma mesquita ou de uma sinagoga, reservada exclusivamente aos pastores, aos sacerdotes ou aos rabinos. Muitos, sem dúvida, vão surpreender-se quando lhes mostrarmos como a Bíblia define o significado do altar verdadeiro e sua função.

 

🎯 O altar, de acordo com as Escrituras, era um lugar construído para nele se oferecerem sacrifícios e holocaustos de animais. Era um testemunho perpétuo, um favor; sentia-se nele a manifestação divina, significava a presença de Deus, santificava as ofertas, e era o lugar onde se realizava a comunhão dos fiéis com o Senhor. Por tais razões o altar era respeitado” (CONDE, Emílio. Tesouro de Conhecimentos Bíblicos. 2ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1983, pp.45-46).

💡 Versículo 2: edificaram o altar... para oferecerem sobre ele holocaustos.

Os holocaustos eram a oferta básica (Lv 1), mas também havia outras ofertas (Ed 3. 5). Os holocaustos eram a base contínua sobre a qual um povo pecaminoso podia viver na presença de um Deus santo (Êx 29.42). Isso prenunciava o futuro sacrifício de Cristo como o sacrifício final que leva os pecadores à presença de Deus (Hb 10.19-20).

 

💡 Versículo 4: E celebraram a festa dos tabernáculos.

A Festa dos Tabernáculos durava sete dias (veja Lv 23.33-36). Durante este período, o povo habitava em moradas temporárias (tendas, barracas, alpendres), como seus antepassados haviam feito, anos antes, quando peregrinaram pelo deserto, a caminho da Terra Prometida. A festa lembrava o povo da proteção anterior de Deus e da sua orientação no deserto, e seu contínuo amor por eles.

 

📖 PARA LER E PRATICAR:

Romanos 12.1: ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

🔍 Estudos complementares - Saiba mais:

Subsídio para a lição 3: O Despertamento Renova o AltarClique Aqui

O Altar do Holocausto, Acesse Aqui

Jesus, o Holocausto Perfeito, AcesseAqui



[1] Jesua foi o sumo sacerdote no início do período pós-exílico. Seu avô, Seraías, foi executado por Nabucodonosor quando Jerusalém caiu nas mãos dos babilônios (2Rs 25.18-21).



Nenhum comentário

Imagens de tema por PLAINVIEW. Tecnologia do Blogger.